GM confirma produção do Tracker na Argentina

A General Motors confirmou a produção do Chevrolet Tracker na Argentina, mencionando a fabricação de “um novo veículo durante o mês de julho”.

Este modelo será o Tracker, confirmado pelo presidente da Argentina, Alberto Fernández em reunião com Shilpan Amin, presidente da montadora nos EUA.

Para fazer o Chevrolet Tracker, a GM expandiu a fábrica de Santa Fé em 50.000 m² com áreas de Prensa, Carroceria e Montagem.

Com essa ampliação, a planta do norte da Argentina passará de 80.000 para 115.000 carros por ano.

Nela, a GM ainda faz os modelos Cruze e Cruze Sport6, que atuam no segmento médio.

A montadora disse: “Este é um investimento muito importante para a General Motors pelo seu porte, abrangência e por envolver o uso de novas tecnologias de fabricação de automóveis pela primeira vez na indústria automotiva nacional”.

Com o Complexo Automotivo de Alvear, o Chevrolet Tracker terá duas linhas de produção na região, com a outra em São Caetano do Sul, sede sul-americana da GM.

A produção do Tracker começará na terceira semana de julho e atenderá principalmente a exportação para países vizinhos, em especial o Brasil.

Segundo a imprensa argentina, a produção do Tracker na Argentina seria em realidade a transferência da fabricação brasileira para o país vizinho, em virtude da chegada da Nova Montana.

O investimento da General Motors na planta de Alvear é de US$ 350 milhões.

O Tracker foi o SUV mais vendido do mercado brasileiro em maio, emplacando 6.564 unidades. No acumulado do ano, contudo, o Chevrolet é o quarto SUV mais vendido em 2022, com 21.654 exemplares.

Aí, ele perde para Volkswagen T-Cross, Jeep Compass e Hyundai Creta, sendo produzido com motores CSS Prime 1.0 Turbo e 1.2 Turbo, ambos com três cilindros.

Eles entregam 116 cavalos no primeiro e 133 cavalos no segundo, este com etanol, além de até 16,8 kgfm no 1.0 litro e até 21,4 kgfm no 1.2 litro.

[Fonte: Cosas de Autos]